Holofote        
 
Nexo: novo jornal na rede

24/11/2015

Novo portal de notícias estreia com 25 profissionais na redação

Fonte: Redação Comunique-se

Chega ao mercado nesta terça-feira, 24, o jornal digital Nexo, que promete trazer “explicações precisas e interpretações equilibradas sobre os principais fatos do Brasil e do mundo”. Projeto de três empreendedores brasileiros com formações distintas, o veículo com sede na capital paulista já nasce com equipe formada por 25 profissionais.

A cientista social Paula Miraglia, doutora em antropologia social, a engenheira Renata Rizzi, doutora em economia, e o jornalista Conrado Corsalette, que já comandou as editorias de política e cotidiano no Estadão e na Folha de S. Paulo, uniram-se para lançar o Nexo Jornal, site que visa oferecer notícias contextualizadas utilizando recursos como vídeos, infográficos e materiais interativos.

Neste primeiro momento, todo o conteúdo poderá ser acessado livremente pelos leitores, mas o plano é introduzir um modelo de assinaturas, no valor de R$ 12,00 por mês, para garantir um modelo de negócios sustentável ao veículo. A visão de que o jornalismo tem um papel transformador no debate público foi determinante para que o Nexo fosse concebido, conforme relata a diretora-geral Paula.

“Nosso objetivo, desde o início, foi criar um modelo editorial capaz de produzir um conteúdo que seja acessível para um maior número de pessoas, por ser claro e explicativo, e também efetivamente rico, proporcionando contexto suficiente para subsidiar a formação de opinião”, explica a executiva.

O nome surgiu da ideia de valorizar e sintetizar o que o jornal oferece ao leitor: dar nexo aos fatos a partir da clareza, contexto e dar interpretação equilibrada. “O site é dividido em equipes que trabalham de forma integrada. Há uma separação básica entre dois núcleos: um é responsável por política e economia e nacional e internacional, e o outro responde por assuntos variados, que incluem cultura, esporte e cidades, entre outros. Além disso, compõem a redação os núcleos de arte, pesquisa, materiais especiais e tecnologia, que trabalham totalmente integrados”, complementa Paula.